O mutuário procurou a AMMRS, após receber a notificação do agente financeiro, informando que seu imóvel estava sendo levado a leilão, inclusive com data marcada, devido a inadimplência do seu contrato habitacional.

O contrato de financiamento habitacional foi celebrado em junho de 1995 junto a FINHAB e, posteriormente, cedido para Caixa Econômica Federal.

A AMMRS, ingressou com ação para suspender o leilão e revisar os valores cobrados pelo agente financeiro, sendo que o valores apresentados pelo banco estavam acima do valor correto, além de outras irregularidades encontradas no contrato, que foram apuradas pela perícia contábil da AMMRS.

Em sede de liminar, conseguimos suspender a carta de arrematação e autorização para depositar em juízo o valor recalculado pela AMMRS.

Depois de alguns anos em litígio processual, conseguimos com que o mutuário liquidasse sua dívida de R$ 510 mil por R$ 38 mil reais, sendo que R$ 28 mil reais foram abatidos com o FGTS e a diferença com depósitos judicias e recursos próprios.

O termo de liberação de hipoteca será disponibilizado ao mutuário em 90 dias.

Processo n° 2007.71.00.036073-8

Se você possui alguma dúvida em relação ao seu contrato habitacional, não deixe de entrar em contato