Mutuário procurou a AMMRS após o IPERGS cobrar a quantia aproximada de R$ 10 mil para liberar a hipoteca, apesar de adimplido todo o contrato, com a alegação de que havia diferenças de prestações pagas a menor.

O contrato de financiamento foi firmado em dezembro de 1981, com FCVS.

Após ingresso de ação judicial pela AMMRS, com o pedido de quitação e revisão do contrato, conseguimos o termo de liberação de hipoteca com a quitação antecipada com base na lei 10.150/00, visto a comprovação dos requisitos necessários para o enquadramento desta lei e, ainda, tramita na justiça a discussão de valores pagos a maior pelo mutuário, já comprovado em perícia judicial.

Se você possui alguma dúvida em relação ao seu contrato habitacional, não deixe de entrar em contato.

Processo nº 2004.71.00.037587-0