A herdeira da mutuária procurou a AMMRS em novembro de 2016, após saber que a mutuária (falecida) possuía um contrato de financiamento firmado em junho de 1989, e que após adimplir todas as 240 prestações (20 anos), finalizando o prazo de pagamento em julho de 2009, se deparou com um saldo devedor de R$ 210 mil reais. Desde então, tomou ciência do risco de execução do banco para cobrar esta dívida.

Ao analisarmos a documentação apresentada pela herdeira, verificamos que a dívida estaria prescrita desde 2014, conforme art. 206, § 5°, I do código civil. Diante da possibilidade que liquidação do contrato pela prescrição e, consequentemente, a liberação da hipoteca, ingressamos com ação judicial.

Após ingresso de ação judicial pela AMMRS, a justiça reconheceu a prescrição da dívida, ocorrendo a quitação do contrato e a emissão do termo de liberação de hipoteca sem que os herdeiros precisassem desembolsar nenhuma quantia para o agente financeiro!

Se você possui alguma dúvida em relação ao seu contrato habitacional, não deixe de entrar em contato

Processo n° 5080962-54.2016.4.04.7100